1 de abr de 2010

Caso Isabela Nardoni

Defesa do casal Nardoni entrega à Justiça pedido de novo julgamento

Os advogados de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá --condenados pelo assassinato de Isabella, filha dele-- recorreram ao Tribunal de Justiça de São Paulo na quarta-feira contra a condenação do casal e com um pedido de novo julgamento. A informação foi confirmada pelo advogado Roberto Podval na tarde desta quinta.

A advogada Roselle Soglio, também representante do casal, já tinha dito que a solicitação de novo julgamento seria baseada em lei, em vigor na época do crime, que previa novo júri popular automático em casos de condenações iguais ou superiores a 20 anos de detenção.

A nova legislação cancelou essa possibilidade cinco meses após a morte da menina, ocorrida na noite de 29 de março de 2008. Procurado pela reportagem, Podval não quis comentar as expectativas para que haja um novo júri.

Já o recurso contra a condenação já tinha sido anunciado por Podval logo após a leitura da sentença do casal, na madrugada do dia 27 de março, mas os argumentos do recurso deveriam ser entregues até o fim de semana.

Os acusados foram condenados por homicídio triplamente qualificado e fraude processual (por ter alterado a cena do crime). O pai de Isabella foi condenado a 31 anos, um mês e dez dias de prisão por homicídio triplamente qualificado: por ter sido usado meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima, e para garantir a ocultação de crime anterior. Já Anna Carolina foi condenada a 26 anos e oito meses de prisão.

Isabella foi morta no dia 29 de março de 2008, ao ser jogada do sexto andar do prédio onde morava o pai. Na última terça-feira, a família da menina participou de uma missa pelos dois anos de morte. Na ocasião, o promotor de Justiça Francisco Cembranelli foi aplaudido duas vezes.

Também durante a cerimônia, Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella, comentou a possibilidade de anulação do julgamento do casal Nardoni, levantada pelos advogados de defesa. "Eu acho que deve haver um respeito em saber que aqui tem pessoas que também vão lutar contra isso", disse.

Informação: Folha Online
Postar um comentário