17 de jun de 2010

Polícia apreende pão francês 'recheado' com cocaína

  • Dois rapazes foram presos em flagrante na manhã desta quarta-feira ao tentar passar uma porção de cocaína e dois litros de vinho para um detento que está no minipresídio da 9ª Subdivisão Policial (SDP) de Maringá.
    A tentativa de passar pelo sistema de revistas aconteceu por volta das 11 horas, logo após Israel de Oliveira Lopes, 20 anos, e Anderson Aparecido Gonçalves, 18, entregarem 20 pães com mortadela e uma garrafa de refrigerante no setor de carceragem.


    Pães e a porção de cocaína encontrados com os rapazes
    presos

    Numa rápida conversa com o funcionário responsável por receber os alimentos, Gonçalves explicou que os produtos deveriam ser entregues para seu irmão, Thiago Aparecido Gonçalves, 21, preso desde o último dia 7 por roubo à mão armada.

    Seguindo os procedimentos de segurança, o funcionário revistou os lanches e descobriu que dois pães estavam recheados com 10 gramas de cocaína e a garrafa, que deveria conter refrigerante sabor uva, continha vinho tinto seco.

    Presos em flagrante, Gonçalves e Lopes foram autuados por tráfico de entorpecente, modalidade criminosa prevista no artigo 33 da lei 11.343/06 e que prevê pena que varia entre cinco e 15 anos de reclusão.


    "Laranjão"

    "Sou o verdadeiro laranja. Laranjão mesmo", afirmou Lopes à reportagem de O Diário. Ele assegurou que não tinha conhecimento que os pães escondiam cocaína e que a garrafa trazia vinho.

    Aparentando calma, Gonçalves também jurou inocência e jurou não saber que os pães estavam recheados de droga. "Sei lá, eu comprei os pães deste jeito. Nem imagino quem colocou o pó lá dentro", disse ele, para em seguida questionar: "Era pó mesmo ou era maconha? (risos)".

    O delegado Laércio Cardoso Fahur explicou que se baseou nas informações repassadas pelo carcereiro para autuar os dois jovens por tráfico.

    "Fui informado que eles chegaram juntos ao plantão. Vou deixar que o Ministério Público avalie a responsabilidade de cada um no caso", disse o delegado.
Postar um comentário