7 de out de 2010

Dilma e o aborto: PT puniu deputado da sigla que é a favor da vida




Por mais que Dilma agora venha mudar de cara, vestindo a máscara de defensora da vida, o seu histórico e de seu partido é claro em relação ao assunto: Totalmente a favor da legalização irrestrita do aborto no Brasil. Essa é bandeira antiga e enraizada na sigla, faz parte do programa do partido dos trabalhadores e já causou expulsão de membros e punições a detentores de cargos eletivos. O caso mostrado acima, do Deputado Luiz Bussuma (BA), é esclarecedor. Bussuma é contra o aborto, a favor da vida e não se dobrou as diretrizes do partido. Resultado: Foi punido com suspensão de um ano para que mudasse de opinião, ou sua expulsão seria efetivada. O deputado resolveu, por ter convicção no que defende e pensa, sair do PT e rumar para o PV, onde encontrou apoio as suas convicções de vida.

Por isso, não se deixe enganar com o marketing eleitoreiro que jogará todas as suas fichas na venda da imagem de uma Dilma "paz e amor", uma Dilma a favor da vida. O PT não falará claramente, nunca, que é contra o aborto, pois está no seu projeto de governo essa tese. Mas virá com uma ladainha enganosa tentando mascarar seu pragmatismo ateu, fruto da identidade com o velho socialismo soviético, que vem dos tempos da fundação do partido e encontra eco junto aos seus militantes históricos. Para esquerdistas radicais, a igreja, a religiosidade e a defesa da vida são meros contratempos, obstáculos para a implantação de um estado totalitário e materialista que a todos vigia e comanda. Não se deixe enganar, pois são lobos em pele de cordeiro.



Abaixo a íntegra da entrevista de dada por Buassuma ao jornal O Estado de São Paulo, em seis de outubro de 2010, três dias depois da eleição do primeiro turno.

OESP: O senhor foi punido pelo PT por ser contra a legalização do aborto. Agora, esse tema passou a ser um dos principais problemas da campanha presidencial de Dilma Rousseff e o PT se esforça para dizer que não defende a proposta. Qual é a sua avaliação sobre isso?
Buassuma: Ninguém pode apagar a história.Fui punido com um ano de suspensão pelo PT apenas por querer continuar a favor de uma idéia que sempre defendi. Não queria que ninguém pensasse igual a mim. Só queria que o partido respeitasse o meu direito de ter opinião doferente.


OESP: O senhor acha que o PT agiu errado com o senhor?
Buassuma: Cumpri quatro mandatos pelo PT e um dos motivos que me fizeram ser filiado ao partido era justamente o artigo interno que permitia aos integrantes terem direito à liberdade de opinião, de religião, de pensamento. Comigo não valeu.


OESP: O senhor acha que há setores no partido que realmente são contra o aborto?
Buassuma: É possível. Mas fui punido quase por unanimidade pela direção do partido por ser contra a proposta (de legalização do aborto). Dilma era a ministra chefe da Casa Civil na ocasião. Durante a análise do meu caso, o PT deixou claro que é a favor da legalização e não concordo.


OESP: Nos últimos dias, a candidata tem negado publicamente ser a favor do aborto. O PT, então, deveria propor uma punição interna para ela como fez no caso do senhor?
Buassuma: Acho que eles tem que assumir a verdade e dizer o que pensam sobre o assunto. Vai piorar a situação dela se mentir sobre o aborto por questões eleitoreiras. Vai ser um tiro no próprio pé. Na minha opinião, ela é materialista. O presidente Lula não. Todo mundo sabe que ele tem uma posição diferente. Ele sempre disse que era contra o aborto.


Nota do Blog: Apesar de Lula se pronunciar contra o aborto em algumas ocasiões, na campanha presidencial de 1989 sua ex-namorada Miriam Cordeiro relatou na TV que Lula propôs a ela que abortasse na época em que namoraram e ela engravidou. Miriam relata que não concordou, e teve a filha Luriam, que Lula só anos mais tarde reconheceu a paternidade.


OESP: Esse tratamento mais flexível do PT sobre o tema faz com que o senhor se sinta injustiçado por ter sido punido?
Buassuma: Pelo contrário. Eu me sinto honrado por ter sido suspenso pelo PT por ter defendido a vida. Essa é a bandeira da minha vida. Minha principal causa política. E o PT não respeitou esse meu direito. Envergonhado eu estaria se tivesse defendido o mensalão. Eu acho que o aborto significa matar uma vida.


OESP: Sua candidata, Marina Silva, está fora do segundo turno. Entre José Serra e Dilma Rousseff, quem o senhor pretende apoiar no segundo turno?
Buassuma: O PV e Marina ainda vão definir suas posições sobre a sucessão presidencial. Mas eu vou votar e fazer campanha para José Serra em Salvador. Já estou anunciando esse apoio publicamente.


Postar um comentário