4 de abr de 2011

FW: Casas do Residencial Mauá são sorteadas


   Cerca de 800 pessoas estiveram sexta (1 de abril), no Ginásio de Esportes Tancredo de Almeida Neves,em Sarandi, para o sorteio das casas do Conjunto Mauá. A Prefeitura, a Monolux e a Caixa Econômica Federal (CEF), sortearam 343 casas que foram construídas dentro do Programa Minha Casa Minha Vida. Neste projeto, foram investidos cerca de R$ 15 milhões reais. As novas casas ficam próximas ao Conjunto Floresta, têm 42 metros quadrados de área construída, dois quartos, sala, cozinha, banheiro e quintal. E ainda forro de PVC e aquecedor solar. As ruas são asfaltadas, com infraestrutura - luz, água, esgoto e galerias - parque infantil, Academia da Terceira Idade (ATI) e espaço para convívio social.

  Participaram da solenidade,  Carlos Alberto de Paula prefeito municipal; Sergio Scramim ; superintendente regional da Caixa Econômica Federal; Eliana Patrícia Palma; representante da Monolux; Rubens Vieira Lopes; gerente geral da Caixa Econômica Federal, Rodney Luiz Tevisan; gerente de sustentação de negocio da Caixa Econômica Federal, Paulo Marinho; gerente de construção da Caixa Econômica Federal. Também estiveram presentes Vereadores, Secretários Municipais, Diretores, e membros dos conselhos municipais.

 Das 343 casas sorteadas, 170 foram para famílias que moram no Conjunto Mutirão.  O financiamento das moradias foi feito por 10 anos e as parcelas vão variar de R$ 50 a R$139. A renda máxima comprovada exigida foi de R$ 1.395 reais. Comprometendo dez por cento da renda familiar declarada. A seleção foi feita pela Secretaria da Ação Social de Sarandi e análise foi feita pela Caixa Econômica Federal.

Segundo a diretora de habitação de Sarandi, Sara Regina Godoi, o processo foi bastante demorado e realizado com muito critério. "Nós temos em nossos cadastros 2.500 pessoas inscritas e tivemos que escolher 343 famílias, sendo que a prioridade era as 170 famílias do Mutirão. Todo o processo levou cerca de um ano. A escolha é feita em duas etapas primeiro fazemos o projeto que é encaminhado para o Ministério que libera os subsídios e depois encaminhamos para a Caixa que libera o financiamento, a partir daí é que fizemos a triagem das família. Levamos muito tempo até conseguirmos reunir toda documentação das pessoas, mas agora o sonho delas vai se concretizar e nós estamos felizes com a sensação de dever cumprido", explica Sara.


  A retirada dos moradores do Mutirão está prevista para o dia 2 de maio.   Segundo a prefeitura, as doze famílias que não apresentaram a documentação necessária para se candidatar às novas casas, aceitaram acordo proposto pela administração municipal que ofereceu um terreno e R$ 5 mil para iniciar uma construção em outra área.


Sergio Scramim, superintendente da Caixa Econômica Federal, disse que a Caixa quer investir na melhoria da vida das pessoas. "Nosso objetivo é fazer com estas pessoas possam ter uma vida digna, buscamos a melhoria na qualidade de vida das famílias. Esperamos que todos possam estar em suas casas em 30 dias, faremos a assinatura dos contratos de 18 a 29 de maio".

Conforme o Prefeito Carlos Alberto de Paula, o dia 1 de abril foi escolhido para ser o dia da verdade. "Muitas pessoas não acreditavam neste sonho, fiz questão que fosse no dia 1 de abril para ser lembrado aqui em nossa cidade  não como o dia da mentira mas como o dia da verdade. O sonho mais importante da família, que é um projeto de Deus, é ter um endereço criar seus filhos com dignidade, sou pai e sei da importância de se ter uma casa um endereço.É uma honra para mim poder participar deste momento eu diria o momento mais importante da história de Sarandi.Vamos trabalhar mais para realizar mais sonhos se Deus quiser",disse De Paula.

O sorteio foi feito em três etapas, primeiro os idosos e as pessoas portadoras de necessidades especiais, e depois os demais. A primeira pessoa sorteada, foi Silvia Graziele Ferreira. Para Ivete Rodrigues da Maia, 33 anos, foi um sonho realizado. "Moro aqui desde 1992 tenho três filhos as dificuldades são muitas, mas agora vou poder dar um lugar descente para minha família morar. Vou ser agradecida pela vida toda"desabafa Ivete, uma das primeiras a ser sorteada.


Já para dona Maria de Lurdes, 70 anos, pensionista, e com o marido acamado, a espera foi maior." Estou há 35 anos pagando aluguel.  Graças a Deus e a este Prefeito minha espera acabou, vou poder fazer minha hortinha, plantar minhas florzinhas, cuidar melhor do meu marido em lugar bom com asfalto, com todo conforto, agradeço a Deus por esta benção em minha vida".


Moradora de Sarandi há 24 anos Rosana Aparecida de Souza tem uma filha deficiente e está "a à espera de uma casa há três anos. "Esta casa vai ser muito boa para os meus filhos, se não fosse este programa da Caixa eu nunca teria condições de comprar nada, agora vai ser vida nova para nós".

Com 72 anos, Cecilia Fonseca de Lima cuida da filha de 55 anos em uma casa alugada. "Moro aqui 25 anos, eu nem tenho palavras pra agradecer este presente, eu estou muito emocionada nem acreditava que conseguiria isto ainda em minha vida, mas com a graça de Deus estou vivendo este dia".

O prefeito de Sarandi, Carlos Alberto de Paula Junior, explica que as casas do Mutirão, após a desocupação, serão demolidas. A área dará lugar a um Hospital Municipal, um quartel da Polícia Militar e uma delegacia.

Postar um comentário