30 de ago de 2011

Cresce índice de violência no Estado do Paraná, diz Sérgio Souza


 "A violência tem crescido acima da média nacional no Estado do Paraná. A falta de investimentos na área de segurança levou ao sucateamento da máquina policial e ao consequente aumento da criminalidade." A afirmação é do senador Sérgio Souza (PMDB-PR), durante discurso em Plenário da Casa, no dia 25 de agosto.

 Na ocasião, ele citou o artigo 5º da Constituição Federal que garante a todos os brasileiros e aos estrangeiros residentes no país, a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. Para o parlamentar, a Lei Maior está adequada aos anseios da sociedade em relação à sua proteção, porém, na prática, o país ainda tem muito a percorrer até atingir níveis aceitáveis de segurança pública.

Segundo Sérgio Souza, a sociedade brasileira vem experimentando uma evolução muito expressiva em vários dos indicadores sociais. O crescimento da economia, por exemplo, juntamente com a melhora na distribuição da renda, resultou em milhões de brasileiros saindo da linha da pobreza e outros adentrando a classe média.

 "Era de se esperar que tal crescimento da renda nacional repercutisse de forma direta e positiva nos índices de violência do país, porém, isso não ocorreu. Tenho absoluta convicção que juntamente com a saúde, a educação, a segurança é uma das maiores preocupações do povo brasileiro", frisou.

Efetivo policial

Uma das preocupações do senador é com a situação crítica do efetivo policial do Paraná, principalmente quando comparado com os Estados vizinhos. São 16,7 mil policiais militares na ativa e 3,7 mil policiais civis. Santa Catarina, por exemplo, que tem a metade da população do Paraná, tem o mesmo efetivo.

"É preciso, urgentemente, dobrar o número de policiais no Paraná. Faltam investimentos em tecnologia, efetivo policial e equipamentos. E assim não é possível vislumbrar melhorias expressivas no curto prazo", alerta.

Sérgio Souza apresentou levantamento do Conselho Nacional Justiça (CNJ) que revela cem juízes brasileiros com vida ameaçada, em diferentes níveis de risco. O Paraná lidera a lista e aparece em primeiro lugar, com 30 casos; seguido do Rio de Janeiro, com 13, e da Bahia com dez.

"É muito preocupante constatarmos que nosso Estado lidera uma listagem tão negativa, sobretudo quando comparamos com outras unidades da Federação, muito mais conhecidas pela atuação do crime organizado, e cujo número de juízes ameaçados é bem menor".

Assessoria de Comunicação Social

Senador Sérgio Souza

 

 

Postar um comentário