14 de jun de 2012

Educação em Luta: Estudantes vão ao Nucleo de educação

Hoje a tarde por volta das 14 horas uma comissão do Grêmio estudantil do CEEBJA será recebido pela corpo jurídico do NRE e também pela responsável dos EJAS.
Os  alunos irão tentar mantem o direito as 5 aulas corridas como vem acontecendo na atualidade, sem ser da forma imposta pelo NRE.
Algumas mudanças afetam diretamente os estudantes, se olharmos o perfil do aluno em Sarandi, é claro que no período Manhã e Tarde não se tem como aplicar o estudo coletivo, ate houve uma tentativa, o que resultou em uma desistência de 50 % dos alunos, isso prova que a mudança é um regresso a educação básica de jovens e adultos, o núcleo deu opção  para que os professores pudessem optarmos por ter 5 aulas ou 4 aula/ dia, os estudantes querem as 5 porem, da forma que foi imposta não da para se aplicar, o modelo do núcleo compõe 3 e 2 aula ou seja, teria dia em que o estudante deveria comparecer para apenas 2 aula após o recreio, ai teriam uma grande desistência, assim como ja ocorreu, o que os estudantes  e professores lutam é por 5 aula diretas, uma matéria por dia, e é por isso que os estudantes estão dispostos a lutar, dependendo das negociações com o Núcleo de Educação, os estudantes devem se organizar para porta na capital do estado, em manifesto as mudanças.

"Queremos Cobrar do Senhor Flávio Arns uma educação publica de qualidade, como nos garante a constituição, sem ameaças, sem corte, se preciso acamparemos na Secretaria estadual de educação, mas faremos de tudo para garantir o direito de cada estudante" Frisou o presidente de Grêmio estudantil

"A educação de adultos torna-se mais que um direito: é a chave para o século XXI; é tanto consequência do exercício da cidadania como condição para uma plena participação na sociedade. Além do mais, é um poderoso argumento em favor do desenvolvimento ecológico sustentável, da democracia, da justiça, da igualdade entre os sexos, do desenvolvimento socioeconômico e cientifico, além de um requisito fundamental para o construção de um mundo onde a violência cede lugar ao dialogo e à cultura de paz baseada na justiça" (Declaração de Hamburgo sobre o EJA)

Postar um comentário