4 de jul de 2012

Estudantes podem ocupar pacificamente o NRE em Maringá

No dia 2 de Julho a diretoria do Grêmio estudantil CEEBJA, definiram que se as negociações não caminharem até dia 23 de julho, o Grêmio deve convocar uma Assembléia Geral com os Estudantes, para votarem pela paralisação da aulas no CEEBJA de Sarandi e ocupação pacifica do Núcleo Regional de educação de Maringá. 
Visando que as negociações estão paradas e o NRE local nada defini e faz para ajudar os estudantes, os passos a seguir foi dado ontem quando o presidente do Grêmio estudantil esteve no NRE e conversou com a Chefe do Núcleo Professora Maria Inês, que por sua vez frisou ser impossível a dobra de demanda para os períodos da manha e tarde e que a plicação das aulas no coletivo é obrigatória. Visando que se não houver a dobra de demanda, um dos períodos corem sérios ricos de fechar, ainda pela obrigação do coletivo, que isso não é regra geral, pois com gravações de vídeo, provamos que uns protegidos do Núcleo, não tem coletivo, e ainda fazem um documento para que o aluno assine desistindo do coletivo e optando apenas no individual.
A pergunta que nos resta é apenas uma, por que para alguns pode e para outros não?
O presidente do grêmio bem como sua diretoria, aguarda o retorno da chefe do Núcleo que foi em viagem a capital do estado, sobre a resposta do aumento de demanda, caso seja contraria o movimento deve prosseguir, tirando uma comissão para ir a Capital do estado, discutir diretamente com a SEED os problemas encontrados, já que a Chefe do Núcleo, que por sinal é indicação do Deputado Evandro Junior , não tem poder de decisão sobre tal fato.
"Se no dialogo aqui em Maringá, não conseguirmos atingir um resultado favorável, devemos ir para a Capital, se não conquistarmos através do dialogo, devemos partir para a mobilização geral dos estudantes, isso inclui em Fechamento da BR376, ocupação do NRE, e até Greve dos estudantes. Eles fazem sua Resuluções de gabinete e socam Guéla abaixo, sem saber se é possível ou não aplicação da atual resolução cada CEEBJA tem uma realidade, e o atual governo não esta nos respeitando, isso vamos cobrar até o fim, o Governador, Secretario de Educação, Chefe do Nucleo tem que nos respeitar, e para com o protedorismo que tem com algumas escolas e a perseguição com as outras, isso faremos ser respeitado, no dialogo ou na mobilização, quero resolver no dialogo, mas a luta é preciso. Se é para ir para a luta , nós vamos" frisou o Presidente do Grêmio do CEEBJA Sarandi.
Postar um comentário