12 de out de 2012

Compra de votos- prefeito é cassado


Prefeito eleito, vice e três vereadores são cassados em Medianeira


Justiça Eleitoral de Medianeira, no Oeste do Estado, cassou nesta quinta-feira (11) o registro de candidatura do prefeito eleito Ricardo Endrigo (PSDB), da vice Delcir Berta Aléssio e de sete candidatos a vereador, três deles eleitos no domingo (7). Os nove são acusados de participar de um esquema de compra de votos em troca de moradias populares que supostamente seriam construídas na cidade com recursos do governo federal. A proclamação oficial dos novos eleitos está marcada para segunda-feira (15), às 9 horas.
Publicada no Diário Oficial do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) de segunda-feira (8), a decisão da juíza Diele Denardin Zydek sobre o processo que corria em segredo de Justiça atende ao pedido do Ministério Público Estadual (MP-PR), de onde partiu a denúncia de crime eleitoral. Com a correção do resultado, o novo prefeito eleito é Tomás Edson Andrade da Cunha (PT), o Dr. Tomás, que obteve 9.613 votos. Eder Cardoso será o vice. 
Pela decisão em primeira instância, tiveram as candidaturas a vereador cassadas Anderson Luiz Vasilewski, Maria José Alves Pereira, João Ulisses Nunes Correa, Tarcísio Becker Sobrinho - que não se elegeram -, José Valdir Linhar da Silva (Tati), Pedro Inácio Seffrin e Jean Rogers Bogoni, todos da coligação “Segue em Frente Medianeira”. No lugar dos impugnados, cujos votos recebidos foram todos anulados, entram Roseli Turcatel Motter, Edir Josmar Moreira (Nenê) e Valdir Cândido de Oliveira.
O pedido do MP que originou a ação civil tem como base a denúncia feita por um cabo eleitoral que vinha trabalhando para Endrigo e um dos candidatos a vereador. Na ação, a defesa dos acusados chegou a alegar que não há planos para a construção de moradias com verbas federais na cidade e que por isso não seria possível afirmar o crime eleitoral. O promotor, no entanto, lembrou que para caracterizar a conduta basta a comprovação de que houve promessa de vantagem pessoal em troca de votos. 
A sentença ainda determina a cada um dos condenados o pagamento de uma multa no valor de R$ 1.064. Ao candidato a prefeito e a vice, a multa será acrescida em R$ 15 mil. Os nove condenados apresentaram recursos questionando a decisão e o processo segue agora para o TRE, em Curitiba. Procurado pela reportagem, Endrigo, atual vice-prefeito, disse que não se pronunciará sobre o caso antes de todo o processo ser concluído. Já, o novo prefeito eleito, Dr. Tomás, não foi encontrado.fonte G1


Ps: Em Sarandi parece que podem acontecer algumas denuncias ao Cartório eleitoral com anexo de provas que podem mudar o quadro do Legislativo local, ja que em nivel estadual as coisas estão pegando, Cassações podem vir por ai.
Postar um comentário