2 de ago de 2013

Prefeitura de Curitiba utiliza dinheiro público para promover piadinhas do Facebook





O perfil da prefeitura de Curitiba no Facebook já é um 'case' de comunicação. Os governos, em geral, utilizam as redes sociais como mais um canal de informação e interação com a população. Não é caso da fan page da prefeitura de Curitiba que se notabilizou nos últimso dias horas como um canal de piadinhas, conteúdo irrelevante, uso indevido de imagem e erros dos mais variados tipos.


Até a tarde da quinta-feira (01), o único post em 24 horas tratou da abertura da garrafa encontrada na escultura de João Turin. Há erros dos mais variados tipos incluindo o uso indevido da imagem do ator Tom Hanks e a falta de crase em "vamos a procura da garrafa" – motivo de deboche por parte do administrador da página que colocou a culpa no "estagiário".


Ficam as perguntas: É correto um órgão público, que deve dar exemplo, se deter de algo sem o direito esse direito autoral? Será que o Tom Hanks e o dono dos direitos do filme sabem que a imagem deles está sendo usada para que a promova a sua página no Facebook?


As piadinhas da página devem importar muito aos cidadãos que esperam atendimento nos postos de saúde, ou aos usuários dos transporte coletivo que aguaram a real abertura da caixa-preta da Urbs.


Nos comentários, os cidadãos reclamam. Seja própria irrelevância do conteúdo, ou pela falta de resposta à dúvidas e reclamações sobre os serviços municipais ou pior: a censura. São vários os relatos de que os administradores da página ocultam e não respondem comentários, além de bloquear internautas. Só mostram aquilo que interessa ao patrão.


A novidade nesta sexta (02) ficou por conta da informação, divuldaga pelo movimento Curitiba Mobi, de que a página da prefeitura gasta o dinheiro dos curitibanos para patrocinar as piadinhas no Facebook.


"Já vi grandes estupidezes por parte da prefeitura, porém, essa é a maior de todas elas. Lamentável o dinheiro dos nossos impostos ser gasto com esse fim. Deve ser porque na saúde e educação foi tudo resolvido! Onde está o Ministério Público???", disseram os integram do movimento nas redes sociais.

Postar um comentário