27 de nov de 2013

Gleisi não cumpre promessa e agricultores pensam em nova convocação





HTML Message
Gleisi não cumpre promessa e agricultores pensam em nova convocação


Terminou a paciência dos integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária, com a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann e com as atitudes do governo federal, em relação às questões indígenas. De acordo com o presidente da Frente, o deputado Luis Heinze (PP-RS), a ministra prometeu uma resposta em abril, mas até agora nada, nem um pio.

Segundo Heinze, existe um total descaso do governo com relação aos produtores rurais que é agravado por promessas não cumpridas. Caso os pleitos do setor não sejam atendidos, os parlamentares da FPA prometem nova convocação de Gleisi, no Congresso Nacional,

"O que a gente está vendo é que o governo está literalmente nos enrolando. A cobrança que vamos continuar fazendo é com relação à reedição da portaria 303. E também pedimos ao Supremo a publicação dos acórdãos do julgamento do caso Raposa Serra do Sol. Estamos ultimando também a votação do que é a regulamentação do artigo 231 da Constituição e estamos também cobrando do governo aquilo que a ministra Gleisi Hoffmann prometeu em abril, estamos em novembro e ela ainda não cumpriu", desabafa.

Heinze chegou a pedir a convocação de Gleisi na Comissão de Agricultura da Câmara Federal, mas um acordo com membros da base governista transformou a convocação em reunião para solução dos problemas enfrentados pelo setor rural.

"No decorrer da reunião e com a promessa de que a ministra vai nos receber até a próxima terça-feira, resolvi retirar de pauta a minha proposta", explicou.

O presidente da FPA ressaltou ainda que, caso a audiência não se confirme, o seu requerimento será o primeiro item a constar entre as proposições a serem analisadas pela Comissão de Agricultura na reunião da próxima semana, compromisso esse assumido pelo próprio presidente da comissão, deputado Fernando Giacobo (PR-PR).

Segundo os membros da FPA, há um abismo entre acordos verbais e a execução dos compromissos por parte do governo.

Postar um comentário