2 de fev de 2014

Torcedor preso em Oruro esteve na invasão ao CT corintiano, diz PM

Tiago Aurélio dos Santos Ferreira, liberado da prisão boliviana em junho passado, foi identificado por policiais entre os invasores do centro de treinamento do Timão


Um dos torcedores que invadiram o CT do Corinthians na manhã deste sábado para protestar foi identificado pela Polícia Militar como um dos 12 presos em Oruro, na Bolívia, pela morte de um torcedor no ano passado. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, ele seria Tiago Aurélio dos Santos Ferreira. A informação foi passada pela tenente Ana Paula Martins. 
O Corinthians registrou um Boletim de Ocorrência no 62º D.P. de São Paulo, relatando a invasão dos torcedores, a depredação do patrimônio e o furto de três celulares. Pelo menos uma funcionária ficou ferida - ela foi segurada pelo pescoço por um dos invasores.
O consultor médico do Corinthians, Joaquim Grava, que estava no local durante a invasão, confirmou ao GloboEsporte.com ter ouvido de policiais que pelo menos um torcedor de Oruro estava entre os invasores.
- Essa foi a informação que recebi de um dos policiais que estavam ali no CT. Não sei o nome deles, sei que é um grandão e que estava bem exaltado, nervoso, chegou a vomitar ali - disse Joaquim Grava. 

- O que me deixa perplexo é saber que um cara que estava em Oruro e voltou dando entrevistas como herói aparece aqui invadindo o CT - emendou.
O médico chegou a dizer que o torcedor em questão estava também na briga com vascaínos em jogo do Campeonato Brasileiro do ano passado, realizado em Brasília. Na ocasião, Leandro de Oliveira e Hugo Nonato, que estiveram presos em Oruro, foram reconhecidos na briga no estádio Mané Garrincha. Não há a confirmação, porém, de que nenhum deles tenha invadido o CT neste sábado.
Tiago passou 106 dias preso na penitenciária de Oruro, cidade boliviana onde ocorreu a morte do garoto Kevin Espada, então com 14 anos, atingido por um sinalizador marítimo durante jogo entre San José e Corinthians, no dia 20 de fevereiro, pela Libertadores do ano passado. Em entrevista no aeroporto de Cumbica, Tiago disse ter saído de um pesadelo e que "estava sendo feita justiça".
Todos os 12 torcedores presos em Oruro se dizem inocentes. A defesa deles se baseia no fato de o menor H.A.M., de 17 anos, ter admitido o disparo que matou Kevin Espada. Ele voltou para o Brasil logo após o jogo e, depois de alguns dias, prestou depoimento na Vara da Infância e da Juventude de Guarulhos, assumindo a culpa. 
Fonte: GE Esporte

Postar um comentário